Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Desejo Concedido" de Megan Maxwell

Passatempo

Passatempo
Até 3 de Setembro

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

segunda-feira, 1 de julho de 2013
Autora: Tamara Ireland Stone
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 320
Editor: Edições Asa
ISBN: 9789892323190

Sinopse:
Anna é uma jovem de 16 anos em 1995, ferozmente determinada a assegurar uma bolsa de estudo de desporto, para poder sair da sua cidade pacata e enfadonha e finalmente viajar pelo mundo. Bennett tem 17 anos em 2012, vive em São Francisco e tenta controlar a sua capacidade de viajar pelo tempo - um dom incrível mas também uma maldição imprevisível, que constantemente ameaça separá-lo das pessoas que ama.
Quando um pequeno erro de cálculo coloca em perigo a sua irmã Brooke, Bennett dá por si a três mil e duzentos quilómetros e dezassete anos de distância - no mundo de Anna. Enquanto procura por Brooke, Bennett é atraído de modo estranho e inevitável para Anna, mas, por mais desesperado que Bennett esteja para ficar com Anna, a sua incontrolável situação irá inevitavelmente mandá-lo de volta ao lugar a que pertence - e Anna ficará sozinha, presa no tempo que os separa.


Opinião:
Tinha ouvido falar tanto deste livro. Mas tentei manter-me afastada dele o máximo possível por duas razões, porque para além de não querer ser influenciada por outras opiniões, criando assim um livro perfeito na minha mente, a premissa fazia-me lembrar um tanto ou quanto de "A Mulher do Viajante do Tempo".

Anna adora correr e tem jeito para isso. É rápida e é um desporto que lhe liberta a mente dos problemas do dia a dia. Num dia como qualquer outro, quando está a correr no circuito da escola, vê um rapaz estranho a olhar para ela de uma forma muito perturbante. E as coisas ficam ainda mais estranhas quando Anna descobre que esse rapaz é um novo aluno na sua escola. Um aluno que jura a pés juntos que nunca estivera no circuito a olhar para ela a correr.

Bennett rapidamente fica o rapaz mais popular da classe. Bonito, simpático e inteligente, Bennett e Anna começam a criar uma ligação muito forte, que acaba por ficar em perigo quando Bennett revela a verdade sobre si mesmo, que consegue viajar no tempo e que se encontra ali porque, literalmente, perdeu a sua irmã durante uma viagem no tempo. Mas afinal como poderão estas duas personagens ter uma relação se estão separados por vários anos? Se quando Anna já é uma adolescente Bennett está a nascer?

Surpreendi-me muito com este livro. É um romance adolescente, um género de livro virado essencialmente para uma faixa etária não muito elevada, mas mesmo assim acho que é um livro que deliciará qualquer um. Porquê? Porque é um livro ternurento, que tem em si a receita da juventude e daquele grande primeiro amor e do que somos capazes de fazer para o manter e fazer crescer. Tanto Bennett como Anna são suficientemente desenvolvidos neste livro. Compreendemos a sua vida, os seus motivos, a sua maneira de ser.

Apesar deste livro ser escrito do ponto de vista de Anna, devo dizer que me liguei mais a Bennett, uma pessoa que deste muito novo carrega um grande fardo, o facto de viajar no tempo, algo que sempre o tornou um estranho onde vive e um renegado para a sua mãe, que considera que esse poder é uma maldição e algo que poderia ser curado com a medicina moderna. O oposto total do pai, que quer que ele se torne uma especie de super homem e salve tudo e todos viajando no tempo. Mas Bennett sabe que ao alterar algo no passado o presente pode ser ainda pior. Como prova disso tem o desaparecimento da sua própria irmã. Desaparecimento esse que ocorreu durante uma viagem no tempo, que o deixou deveras abalado, pois apesar de tudo a culpa acaba por ser sua. É a partir de todas estas informações que nos ligamos profundamente a Bennett, à sua maneira de ser e de ver as coisas, acabando inclusive por ter pena dele.

Anna acaba por me surpreender no final, ao ser livre, embora tal esteja relacionado em parte com o que ela julga que essa liberdade lhe acabara por dar.

Um livro que gostei e que recomendo aos mais românticos.

0 devaneios :