Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Se Eu Fosse Tua" de Meredith Russo

Passatempo

Passatempo
Resultado!!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

sábado, 29 de março de 2014
Autora: Célia Correia Loureiro
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 580
Editor: Marcador
ISBN: 9789897540394

Sinopse:
Quando D. João tece a união da sua única filha, Mariana de Albuquerque, com o seu melhor amigo - um inglês que investiga o potencial comercial do vinho do Porto -, não prevê a espiral de desenganos e provações que causará a todos. Mariana tem catorze anos e Daniel Turner vive atormentado pela sua responsabilidade para com a amante. Como se não bastasse, o exército francês está ao virar da esquina, pronto a tomar o Porto e, a partir daí, todo o país.
No seu retiro nos socalcos do Douro, Mariana recomeça uma vida de alegrias e liberdade até que um soldado francês, um jovem arrastado para um conflito que desdenha, lhe bate à porta em busca de asilo. Daniel está longe, a combater os franceses, e Gustave está logo ali, com os seus ideais de igualdade e o seu afecto inabalável, disposto a mostrar-lhe que a vida é bem mais do que um leque de obrigações.


Opinião:
Já li livros desta autora e por isso quando tive a oportunidade de ler o seu mais recente romance, um romance histórico (um dos meus géneros literários favoritos), não resisti. Aproveito e dou os parabéns à autora, por ter conseguido escrever um livro deste calibre. Um livro que acredito que leitores apaixonados por Philippa Gregory e até mesmo Ken Follett adorem. Parabéns Célia pelo fantástico livro e por teres conseguido ser publicada pela chancela Marcador da Presença!!

Mariana de Albuquerque é uma criança. Uma criança adorada por todos aqueles que a conhecem menos a sua própria mãe, que vê nesta o reflexo do abandono de D. João, o seu marido e pai de Mariana, um homem que vê nesta o anjo da sua vida, ligando-lhe importância apenas a si e chegando a ignorar a mãe de Mariana de uma forma que pode ser considerada cruel. D. João é um homem no final da sua vida, tendo tido o azar de contrair uma doença pulmonar cujo único destino é a morte lenta e desconfortável. Mariana adora o pai, mas acaba por fazer o que este lhe pede, ir para o Porto conhecer Daniel Turner, um grande amigo e confidente do pai, com quem este decide casar a filha.

Daniel Turner não quer casar. Já está apaixonado por uma mulher e não a quer abandonar. Mas é um homem de princípios e palavra e quando D. João lhe fala dos seus planos para o casar com a sua filha, este não consegue dizer que não. Deve tudo o que conseguira na vida a esta grande personalidade, e além disso sabe que o título de D. João lhe poderá abrir inúmeras portas. Portas essas que lhe poderão ajudar, e muito, a aumentar a sua fortuna recém adquirida. Embora aceite essa combinação, Daniel não tem desejo algum em casar com a rapariga. Uma rapariga com menos de metade da sua idade, que demonstra no olhar que não gosta dele e que não compreende como o seu pai pode gostar. Mas o país está em perigo de entrar para a guerra e as coisas pioram. Os portugueses já estavam numa má situação económica e a ameaça de guerra só vem piorar essa situação e a vida de muitas pessoas, nelas incluídas Daniel e Mariana.

Devo dizer que adorei este livro. Admito que as primeiras 100 páginas foram difíceis de ultrapassar, eram as apresentações das personagens, o porquê de estas serem como são e a sua bagagens emocional, o que acabou por nos ajudar a compreender muitas acções das personagens no decorrer da acção. Mas após essas apresentações, apaixonei-me pela leitura e não consegui largar o livro muito tempo. A personagem de Mariana chegou a baralhar-me imenso, mas um dos sentimentos que mais me despertou foi pena. Uma criança caída num fogo cruzada. Uma criança que é obrigada a casar com um homem que despreza e que acaba por ser na companhia deste que descobre a sua recém adquirida maturidade. Um espírito livre, com ideias demasiado evolutivas para a sua época, sendo considerada por muito uma pessoa louca e selvagem.

Daniel é um homem que acaba por descobrir na mulher com quem casara tudo o que queria, embora inicialmente não tenha desejado o casamento. É um homem com honra, que luta do lado dos portugueses para salvar a sua família e todos aqueles que são importantes para si, embora sinta imensas saudades de casa e dessas pessoas importantes.

O livro centra-se nestas duas personagens, especialmente Mariana (não fosse o título do livro "A Filha do Barão"), mas tem inúmeras personagens secundárias que fazem deste livro o que ele é. Desde Zé, um rapaz que trabalha com o seu pai para ajudar nas lidas da casa onde Mariana e o marido vão morar, um rapaz que nos faz vislumbrar a verdadeira natureza de Mariana, a Gustave, um homem que aparece na vida também de Mariana do nada. Nuna, a criada que ajudara a dar à luz a mãe de Mariana e que tratava Mariana como um verdadeira filha, Elizabeth, uma mulher que já existia na vida de Daniel antes de este conhecer Mariana e que nos demonstra como este consegue ser um bom homem, e até mesmo como Mariana consegue ver para além do ódio.

Um livro que me surpreendeu imenso e cujo final me deixou imensamente curiosa com o próximo volume, afinal de contas a autora deixou-nos perante uma verdadeira revelação no fim do livro. Recomendo a todos, um livro muitíssimo bom e melhor... de uma autora nacional!!

0 devaneios :