Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"A Rapariga de Antes" de J.P. Delaney

Passatempo

Passatempo
Resultado!!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

domingo, 21 de agosto de 2016
Autora: Fiona Barton
ISBN: 9789896577568
Edição ou reimpressão: 2016
Editor: Editorial Planeta
Páginas: 360

Sinopse:
A MULHER
A existência de Jean Taylor era de uma banalidade abençoada. Uma boa casa, um bom marido. Glen era tudo o que sempre desejara na vida: o seu Príncipe Encantado. Até que tudo mudou.

O MARIDO
Os jornais inventaram um novo nome para Glen: monstro, era o que gritavam e lhe chamavam. Jean estava casada com um homem acusado de algo impossível de imaginar. E à medida que os anos foram passando sem qualquer sinal da menina que alegadamente raptara, a vida de ambos foi sendo escrutinada nas primeiras páginas dos jornais.

A VIÚVA
Agora, Glen está morto e pela primeira vez Jean está só, livre para contar a sua versão da história.


Opinião:
Este livro mal chegou às livrarias chamou a atenção de muita gente, não apenas de bloguers mas de imensos leitores. A editora fez uma boa publicidade em redor do livro e a capa em conjunto com a sinopse foram uma grande ajuda. A autora era uma jornalista que cobrira imensos casos de desaparecimentos e gostava de imaginar o que poderiam dizer as mulheres se os maridos acusados desaparecessem. Será que teriam algo mais para contar? Ou será que simplesmente ficariam caladas para todo o sempre?

Jean Taylor era conhecida na pequena cidade onde morava por ser uma mulher afável, simpática e bonita, que prendia a atenção das pessoas pela sua humildade e preocupação para com os outros. O marido era um homem com um bom trabalho e juntos tinham uma vida simples a dois, pois infelizmente não podiam ter filhos. A única pedra no sapato daquele casal aparentemente perfeito.

É então que, de repente, naquela terra em que nada se passa, uma criança desaparece enquanto estava a brincar no jardim da sua casa. A mãe fora para dentro de casa por breves instantes e quando regressara a filha tinha desaparecido, estando no seu lugar um pacote de doces, o que provavelmente teria servido para atrair a filha.

Em que é que a família perfeita de Jean poderia estar relacionada com o desaparecimento desta criança? Jean pensaria que nada, até que a polícia lhe aparece à porta, prendendo-lhe o marido e acusando-o do desaparecimento da criança, mudando-lhe a vida para sempre.

Este livro tem um bom ritmo e algo que eu adoro neste tipo de policiais/thrillers... os capítulos são separados por personagens. Ora temos um do ponto de vista da esposa, como do ponto de vista do polícia, do marido e da jornalista. E ora temos a ação no presente, em que o marido de Jean se encontra morto e esta está a ser constantemente abordada por jornalistas para verem se a esposa, agora sem a influência do marido, conta algo sobre o desaparecimento da criança, ora temos a ação no passado, onde vemos a aflição da mãe da menina e o desespero do polícia.

Desde o início que Jean se revelou alguém muito diferente do que se mostrava ao mundo. Por fora parecia ser querida, preocupada, mas quando líamos a ação do seu ponto de vista encontrávamos alguém cheio de dúvidas em relação ao marido e à sua vida, que via todos como seus inimigos e que apenas queria regressar ao passado.

É um livro que prende o leitor e este quer saber rapidamente o que anda Jeana esconder, porque sim, desde o início percebemos que ela sabe muito mais do que aquilo que afirma. É este mistério em volta d"'A Viúva" que me prendeu e gostei imenso de conhecer esta autora.

Uma boa aposta da Planeta, que recomendo sem reservas.

0 devaneios :