Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Desejo Concedido" de Megan Maxwell

Passatempo

Passatempo
Até 3 de Setembro

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

segunda-feira, 1 de maio de 2017
Autora: Diane Chamberlain
ISBN: 9789898849472
Edição ou reimpressão: 10-2016
Editor: TopSeller
Páginas: 384

Sinopse:
Diane Chamberlain traz-nos um livro muito bem escrito e repleto de suspense, sobre mentiras e a complexidade do universo familiar.
Com a família, ela aprendeu a conviver com as ilusões. Mas até quando conseguirá manter a mentira?
Molly Arnette tem tudo para ser feliz: um marido que adora, uma casa linda e o sonho de ser mãe quase realizado através da adoção. Ela teme, contudo, que todo o processo revele segredos do seu passado e destrua não só as suas hipóteses de finalmente ter um filho, como o seu próprio casamento.
Vinte anos antes, Molly fugira de casa, sentindo-se traída e enganada pela sua família: pela mãe adotiva que a criou, e que ela diz estar morta; pelo pai doente, que Molly adorava e cuja morte a fez «fugir» de casa; e pela própria mãe biológica, cuja presença misteriosa no seio familiar levantara tantas questões.
Determinada a enfrentar os fantasmas do seu passado e a abraçar um futuro cheio de promessas, regressa a casa. Mas à luz de revelações intensas e inesperadas, Molly apercebe-se de que, embora tenha fugido à sua família, não conseguiu fugir às ilusões por ela criadas.


Opinião:
Ninguém pode dizer que esta capa não é simplesmente maravilhosa. Tão simples mais ao mesmo tempo tão perfeita e imperfeita... Uma capa a que não consegui resistir. E um livro que acabei por adorar!

Molly tem uma vida perfeita. Por um lado tem o melhor marido do mundo, do outro tem um emprego seguro e que a faz feliz e realizada. A única coisa que a poderia fazer infeliz era a dificuldade em ter um filho, um problema que foi facilmente ultrapassado quando decidem pela adopção. Mas apesar de Molly demonstrar que tal é algo simples e que ela quer mais do que tudo, ao longo da história começamos a notar uma certa resistência da sua parte, que não quer dar a conhecer ao marido. Uma resistência alimentada por um medo passado, um medo que a levou a separar-se da família.

Quando era nova Molly sempre vivera uma vida feliz. Apesar do pai ter uma doença degenerativa muitíssimo grave, sempre se mostrara forte e invencível, com um sorriso fácil e despreocupado. Adorava o pai e a mãe e todos os que trabalhavam na sua casa. Sempre fora amada e tivera uma vida privilegiada, mas tal não a impedira de voltar costas ao passado e fazer de tudo para o ocultar de todos, inclusive do marido...

Já antes lera outros livros desta autora e a verdade é que ela consegue sempre surpreender-me. Consegue agarrar em tópicos difíceis de se lidar e adaptá-los a narrativas fluídas, de simples leitura e que tocam o leitor no tempo certo, sem serem excessivamente fortes. Isto permite que qualquer leitor leia e reflita sobre tópicos considerados difíceis, tais com a adopção e as doenças degenerativas.

Ao longo de toda a história ficamos presos tanto na Molly de 1990, quando ainda era um criança inocente e cheia de amor pelos pais e todos aqueles que a rodeavam e na Molly de 2014, uma pessoa já adulta que decide esconder todo o seu passado das novas pessoas na sua vida. As personagens estão muitíssimo bem desenvolvidas, sofremos e rimos com elas e compreendemos perfeitamente o que todos estão a sentir.

Mais uma vez a autora mostra que sabe o que faz e que o faz melhor que ninguém. É sem dúvida uma autora a seguir e a TopSeller está de parabéns desde já pela maravilhosa capa, foi das mais bonitas que me passou pelas mãos nos últimos tempos.

0 devaneios :