Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Prometes Amar-me?" de Monica Murphy

Passatempo

Passatempo
Até 23 de Julho

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

domingo, 23 de julho de 2017



segunda-feira, 17 de julho de 2017
Autora: Elizabeth Hoyt
ISBN: 9789897414664
Edição ou reimpressão: 05-2016
Editor: Quinta Essência
Páginas: 392

Sinopse:
Famoso pelos seus desejos selvagem e sensuais, Lazarus Huntington, Lorde Caire, anda à procura de um assassino cruel em St. Giles, o bairro da lata mais famoso de Londres. A viúva Temperance Dews conhece St. Giles como a palma da mão - passou a maior parte da vida a cuidar dos seus habitantes no lar de órfãos que a sua família estabeleceu. Agora essa casa está em risco.
Caire faz uma oferta simples: em troca da ajuda de Temperance para navegar os becos perigosos de St. Giles, ele irá apresentá-la à alta sociedade de Londres para que ela possa encontrar um benfeitor para o lar. Mas Temperance pode não ser tão inocente como parece, e o que começa por ser um calculismo frio em breve se transforma numa paixão que nenhum deles pode controlar - e que pode muito bem destruir ambos.


Opinião:
Sempre gostei muito desta autora. Sei sempre o que me espera ao agarrar nestes livros e sempre com uma pitada de surpresa e inovação nas personagens e é isso que gosto e que me leva sempre a ler os seus livros. As capas desta autora são também sempre dentro do mesmo estilo e facilmente ao olharmos para ela percebemos quem escreveu o livro, o que deixem que vos diga... na prateleira fica lindo!!

Temperance é uma viúva determinada e com uma força de vontade para dar e vender. Em conjunto com a família, gere um orfanato que vivia às custas de patronos mais ricos, mas quando o atual patrono falece e os descendentes deste decidem que não querem continuar a dar dinheiro ao lar, Temperance vê-se a braços com uma grande crise económica, sem saber se conseguirá continuar a alimentar as crianças que ali habitam e que dependem de si e da sua família para tudo...

Lorde Caire, ou Lazarus Hutington, é um homem com um objetivo... Encontrar o assassino da ex-amante e saber a razão por trás de tal assassinado. Mas não conhece assim tão bem St. Giles ao ponto de poder começar uma investigação sozinho. É assim que fica a conhecer Temperance e ao saber que esta precisa de um patrono para o lar chegam a uma solução. Temperance conduz Lazarus pela pobre e perigosa St. Giles e este leva-a a conhecer pessoas que poderiam estar interessadas em ser seus patronos e a salvar o orfanato.

Como devem calcular, neste livro as duas personagens acabam por se envolver num romance, extremamente sensual devo dizer, e que leva com que Temperance finalmente aceite um homem na sua vida e Lorde Caire volte a "sentir" algo por alguém.

Foram personagens que gostei de seguir, especialmente Temperance. Achei-a uma personagem forte, decidida e amada, o que me fez segui-la com vontade e querer ficar a saber mais e mais sobre ela. Lorde Caire acaba por ser uma personagem mais obscura, com vontades peculiares na cama e este é um traço abordado de imediato no livro. Pois se há algo que Caire gosta é de escandalizar pessoas e ele tenta de imediato fazê-lo com Temperance, também como forma de se certificar que esta ficava longe dele.

A escrita da autora, tal como nos restantes livros, é simples, de rápida leitura e é um livro que se lê em poucas horas. Perfeito para viagens de transportes públicos pois se pararmos de repente de o ler não nos perdemos na história, sendo sempre fácil entrar no ambiente da narrativa.

Um livro de que gostei.
sexta-feira, 14 de julho de 2017
Autores: Sari Luhtanen e Miikko Oikkonen
ISBN: 9789896578695
Edição ou reimpressão: 02-2017
Editor: Editorial Planeta
Páginas: 384

Sinopse:
Romance feminino intenso com uma nova abordagem, onde combina vários elementos; amor e mistério. Uma nova temática que se destaca.
Uma história de amor emocionante, onde as escolhas determinam a forma de viver a realidade.
Com uma linguagem envolvente, o livro oferece-nos vários tipos de elementos - paixão, mistério, luta pela sobrevivência, crise de identidade e duelos entre os grupos de ninfas e sátiros.


Opinião:
Tive um problema com esta capa. Por um lado chamava-me para um tema que gosto - mitologia -, e infelizmente não existem assim tantos livros quanto isso deste tema editados em Portugal, mas por outro achei a capa um pouco plástico. Por isso acabei por ter uma relação de amor e ódio com ela. O livro em si, não sendo o melhor que li sobre este tipo de assunto, acaba por ter uma boa premissa, que infelizmente não foi tão bem explorada quanto podia ter sido, mas tenho curiosidade em ver se existiu evolução no livro seguinte da duologia, apesar deste livro se ler bem como único livro e não precisar de mais informação. A minha curiosidade é mais no sentido da evolução das escritoras.

Didi sempre teve alguma coisa de especial que levava a que os homens ficassem loucos por ela. Isso sempre foi fácil de perceber. Mesmo quando se veste mal ou sai à pressa de casa, há algo que leva a que os homens a olhem e queiram estar com ela. E quando mais velha fica mais se apercebe disso. Até que quando finalmente consegue ficar a sós com o rapaz que gosta e começam a avançar para outro nível, Didi apercebe-se que ele morre literalmente durante o ato!

Este horrível acontecimento muda a vida de Didi para sempre, descobrindo ser uma Ninfa mais poderosa e perigosa do que julgava, sendo uma "Viúva Negra", uma ninfa que mata durante o sexo e que se não o fizer acaba ela mesma por morrer em grande agonia. Decidida a lutar contra isso, Didi acaba por se meter na boca do lobo, ficando a conhecer o que são Sátiros e o grande fascínio que estes têm por ninfas...

Foi um livro estranho. Adorei toda a premissa, as ninfas, seres que são conhecidos na mitologia como belos seres, ligados à natureza e ao sexo e os Sátiros, que são seres que acabam por ser o "masculino" das ninfas mas de um modo mais cru e brusco (simplificando muito as definições). Neste livro a autora dá-nos a conhecer este mundo, mas o que poderia ter sido um livro muitíssimo bem explorado, ficou um pouco aquém das minhas expectativas ao logo das páginas. 

A autora começou muito bem com a apresentação da premissa, mas quando chegou a hora de apresentar as personagens e de as aprofundar, as coisas começaram a falhar. Todo o livro acaba por se centrar na descoberta da sensualidade e do sexo, pelo menos na minha opinião, havendo algumas falhas a níveis emocionais. Apesar de estas personagens serem relacionadas com o sexo na mitologia grega, a autora podia ter desenvolvido mais as personagens, especialmente Didi.

Didi é a pessoa com melhor "poder de aceitação" que eu já vi... De um dia para o outro mata o namorado, que adora, ao fazer sexo com ele, descobre que é uma ninfa, uma viúva negra e que o chefe dos sátiros a quer para rainha. E tudo isto é aceite de uma forma muito normal e comum, como se fosse algo que acontecia todos os dias e isso para mim fez-me confusão.

Apesar disso foi um livro que li rapidamente de forma relaxada e que gostei da descrição do mundo em que as ninfas e sátiros vivem, mas é sem dúvida um livro para pessoas mais novas que não estejam tão habituadas a reparar na falta de forma das personagens.