Quem sou eu?

A minha foto

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"No País da Nuvem Branca" de Sarah Lark

Passatempo

Passatempo
Até 14 de abril

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017
Autora: Miriam Hotchkiss 
ISBN: 9789896579418
Edição ou reimpressão: 05-2017
Editor: Editorial Planeta
Páginas: 320

Sinopse:
Em plena época vitoriana, Emily Newham, uma jovem inglesa, destemida, filha de um vigário de província, com uma paixão por cavalos e livros, consegue fugir à tirania familiar candidatando-se a um lugar de perceptora no estrangeiro.
Colocada nas remotas ilhas dos Açores, embarca para um futuro desconhecido e cheio de promessas.


Opinião:
Digam lá se esta capa não é simplesmente maravilhosa? As cores, o vestido lindíssimo. Para uma apaixonada por capas esta foi sem dúvida uma delícia para os olhos. E esperava uma história lindíssima, romântica e com personagens que me prendessem do início ao fim. Mas como ando numa maré de azar com os livros românticos, não gostei deste livro.

Emily é uma aventureira. Não quer viver presa a um homem que não ama, mas se se mantiver em casa, onde é tratada como a gata borralheira, esse será o seu futuro. Bonita, destemida e sincera, Emily capta o ciúme das mulheres e os olhares dos homens. Mas felizmente, estando a viver uma vida que nunca quisera, tenta arranjar forma de se safar e consegue apanhar um barco e fugir daquela vida louca.

É aí que conseguimos visualizar a aventureira dentro de Emily. Acaba por fugir e chega até aos Açores. A nossa ilha portuguesa, perdida no meio do oceano e onde a mão humana não tem muita influência. Uma ilha belíssima, onde conseguimos ouvir os pássaros, o oceano a embater e sentir o ar puro. Uma ilha onde os estrangeiros como Emily não são bem vistos e ignorados por todos. É aí que Emily conhece um casal de estrangeiros que a "adopta", afinal Emily tinha fugido para ser preceptora dessa família.

Mas acaba por dar de caras com uma família complicadíssima, que usa a manipulação como arma e que não resiste ao prazeres da carne, da forma mais promíscua possível.

Há inúmeros livros dentro deste género em que o foco acaba por ser o desenvolvimento das personagens através das relações, mas não neste caso. Aqui acabei por me dar de caras com um estranho casal e uma rapariga praticamente perfeita que todos querem. Não me consegui ligar às personagens e não senti nada por elas. A narrativa foi estranha, pois existiam certas ações que eu sei que poderiam ser justificadas se "sentíssemos" os sentimentos das personagens, mas como eu não senti nada de especial por elas... Não senti nada de especial durante essas ações. Apenas as achei estranhas e considerei mais um livro em muitos.

Emily começa por ser descrita como uma pessoa querida e inocente que queria descobrir o mundo, mas ao longo do livro a autora dá-nos a ver que o que ela queria realmente descobrir era o prazer e isto foi descrido de uma forma demasiado crua e sem sentimentos alguns, o que para mim não funciona nada bem...

Foi um livro que podia ter sido muito melhor se as personagens tivessem sido desenvolvidas. Assim foi mais um no meio de diversos livros que sei que nunca darei uma segunda olhadela... infelizmente.

0 devaneios :